6.1.10

Sabe se lá...

Sabe se lá até quando ...

o silêncio vai estar por essas bandas
veio anteontem
com sua calmaria de praxe
Se instalou e ficou
Vem sempre acompanhado da Paz
mas ao contrario do que muitos pensam
nem sempre a Paz chega acompanhada do Amor

A dor as vezes disfarça...

Sorrateira como a traça
que destroi o seu pano branco
que transmite a Paz
Gosto do silêncio
mas também gosto do Amor barulhento
que chora ao relento
Da janela vem o vento
que carrega o silêncio
Penso e peço para que não o leve para longe
mas é tão necessaria sua partida
pois o dia não nasce em silêncio
nasce em barulho
A vida tem som
e o Amor é vida
Amor em silêncio me parece Morte

Sabe se lá até quando...

4.1.10

Saudoso dia entorpecido
demasiadamente felizes e estupidos

Encaixotem suas hipocrisias
escolham suas fantasias

Mudou o tempo
e o sorriso foi trocado novamente

O silêncio ecoa no lar
do fracasso de quem se achou valente

No escuro o barro que seca entre os dedos
do homem que se esforçou
No escuro o som da preguiça do homem
que nunca me ajudou
No escuro se forja um filho
regado a bebida e sem amor
No escuro se para aquele
debaixo de bala , trabalhador

Conheça a escuridão
Para valorizar a luz
No chão o que te resta é levantar...Enfrentar

Na luz eu vi
o que de mais belo Deus nos deu
Na luz eu vi
o que de mais belo destrui
Na luz o que estava perdido se encontrou
Na luz o homem que descançava se levantou