20.9.10

CirCo

As cinco do dia que se inicia é bem difícil

O rosto gelado e calmo indica compromisso

(O sol faz despertar mais uma vez)

O rebanho se espreme no mesmo corredor de sempre

Cria somente a redundância na minha mente

(O foco está no papel)

Mais um dia
Outra chance
"Pra" escrever de novo
Que me fará esquecer o que vivo agora
Outro dia
Outra chance
Em busca do Tesouro que eu esqueci qual é

A hipocrisia sentada no escritório do edifício

Deixo guardado em casa aquilo que acredito

(tenho que sobreviver)

O sapato mal cuidado denuncia meu descaso

Ao sistema daqueles que eu não quero do meu lado

(fazendo mais um papel)

Mais um dia
Outra chance
"Pra" escrever de novo
Que me fará esquecer o que vivo agora
Outro dia
Outra chance
Em busca do tesouro que eu esqueci qual é

(...um dia de cada vez
mais um capitulo
dessa ilusão que não tem fim...que eu criei "pra" mim...
...sendo meu próprio personagem...disso extraindo a coragem...
para enfrentar esse Circo...)

16.9.10

Meu Bem...

A grade , a luz que invade
O quarto daquele que dorme
Enquanto o dia nasce
Engolindo o dia que morre

Foge do ócio
Para abraçar o oficio
Sem vez para o disperdicio
Não se acostuma com o vicio

Vai batalhar
Para calejar
A alma que não quer falhar
e apenas vagar
Rejeitando tudo o que Deus lhe dá

Sem o alarde
Da consciencia que arde
No dia dia covarde
Sem ser escravo da carne

Engole o odio
Ser do bem é compromisso
Sem ter que usar artificio
Sobreviver sem o risco

De fracassar
Não tentar
Desistir sem batalhar
e apenas vagar
Rejeitando tudo que Deus lhe dá

Intacto
Fato é que é dificil
Seguir linear
No ato
Do seu sacrificio
Que vai se libertar

Do Bem
Dificil é se dar Bem
Pro Bem
Dificil é ser do Bem
Meu Bem
Dificil é ser do Bem
Pra Quem
Não sabe o que é o Bem

6.1.10

Sabe se lá...

Sabe se lá até quando ...

o silêncio vai estar por essas bandas
veio anteontem
com sua calmaria de praxe
Se instalou e ficou
Vem sempre acompanhado da Paz
mas ao contrario do que muitos pensam
nem sempre a Paz chega acompanhada do Amor

A dor as vezes disfarça...

Sorrateira como a traça
que destroi o seu pano branco
que transmite a Paz
Gosto do silêncio
mas também gosto do Amor barulhento
que chora ao relento
Da janela vem o vento
que carrega o silêncio
Penso e peço para que não o leve para longe
mas é tão necessaria sua partida
pois o dia não nasce em silêncio
nasce em barulho
A vida tem som
e o Amor é vida
Amor em silêncio me parece Morte

Sabe se lá até quando...

4.1.10

Saudoso dia entorpecido
demasiadamente felizes e estupidos

Encaixotem suas hipocrisias
escolham suas fantasias

Mudou o tempo
e o sorriso foi trocado novamente

O silêncio ecoa no lar
do fracasso de quem se achou valente

No escuro o barro que seca entre os dedos
do homem que se esforçou
No escuro o som da preguiça do homem
que nunca me ajudou
No escuro se forja um filho
regado a bebida e sem amor
No escuro se para aquele
debaixo de bala , trabalhador

Conheça a escuridão
Para valorizar a luz
No chão o que te resta é levantar...Enfrentar

Na luz eu vi
o que de mais belo Deus nos deu
Na luz eu vi
o que de mais belo destrui
Na luz o que estava perdido se encontrou
Na luz o homem que descançava se levantou